Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Fôrmas, Escoramentos e Andaimes para a construção

EXPO Zaragoza 2008, Espanha

Alta produtividade nas grandes obras

Descrição

Das obras realizadas neste local, a ULMA Construcción executou mais de 15, entre as quais destacam as mais emblemáticas: a Torre da Água, o Pavilhão de Aragão, o Pavilhão da Espanha, a Área de Participantes, o Palácio de Congressos e o Parque Metropolitano da Água.

Solução ULMA

No parque subterrâneo do Pavilhão de Participantes, de 100.000 m2 e com capacidade para 2.255 lugares de garagem, foram utilizados 4.000 m2 de Mesas VR, 6.000 m2 de Fôrma Horizontal RAPID e milhares de metros quadrados de Fôrma ORMA, entre outros produtos. Todos os materiais demonstraram a sua alta rentabilidade e produtividade nas grandes obras: Fôrmas verticais como COMAIN, ORMA, ENKOFORM V-100, Fôrmas horizontais como RAPID, ENKOFLEX, CC-4, escoras, cimbres, sistemas trepantes, etc.

Além dos trabalhos específicos dentro do local, a ULMA Construcción foi responsável pela execução da rua principal de acesso e pela estrutura conhecida como Açude do rio Ebro, uma represa destinada a manter o leito do rio ao mesmo nível.

Aquário Fluvial, com 7.850 m2 e 50 aquários é o maior da Europa. Para a sua construção, em especial a dos tanques, foram utilizados todo tipo de fôrmas, andaimes e sistemas trepantes.

O Edifício denominado “Frio e calor” gerou a energia necessária do local EXPO e do Parque Metropolitano da Água com as suas respectivas unidades de ar condicionado e aquecimento. Este sistema é composto por um depósito de água de 20.000 m3 construído com um concreto preto pouco habitual. Adicionalmente, de forma a conferir a aparência de rocha, foram construídas estrias verticais através de um inovador sistema aplicado sobre as fôrmas verticais.

Palácio de Congressos, concebido para 1.500 espectadores, exigiu um acabamento de concreto aparente. Para o efeito, foi utilizada a Fôrma Vertical ORMA com painéis fenólicos exclusivos para superfícies claras. A ideia era conseguir uma aparência similar ao mármore, o que foi possível graças a encarregados de obra com muita experiência e formação. O resultado foi excepcional.

Além dos produtos, a contribuição na obra envolveu também a experiência na montagem. Na maior parte das obras executadas nesta exposição, foi necessário o trabalho de montadores da ULMA.

O número de obras em execução e a sua simultaneidade exigiu uma grande quantidade de material, transportados em mais de 1.000 caminhões. Adicionalmente, com a rotação do material de um edifício para outro, foi conseguida uma maior produtividade e rentabilidade dos produtos.

A coluna vertebral do projeto consta de dois núcleos, separados 20 m entre si, que permitem suportar os 8.000 m2 de fachada de vidro. Um edifício tão peculiar, exigiu soluções especiais. Por conseguinte, as complexas formas arredondadas foram conseguidas através da utilização de fôrmas realizadas para essa obra. Estes produtos foram utilizados sobre sistemas trepantes, para desta forma, alcançar os 70 m. Para os trabalhos em altura, foram necessárias pequenas plataformas intermediárias, construídas com cimbres e com o Andaime Multidirecional BRIO, além de ser assegurado um nível de segurança extremo mantido durante toda a obra.

Os elevados ritmos de execução e os exigentes prazos de entrega, levaram à realização de trabalhos em paralelo. Enquanto eram executadas as últimas intervenções em altura e a montagem da estrutura metálica, na parte inferior eram instalados os vidros da fachada. Para evitar a queda de qualquer tipo de material, foi concebida uma pala de proteção através do sistema BRIO, um andaime seguro e polivalente, capaz de suportar desde os apoios mais leves aos mais pesados. Deste modo, foi possível trabalhar a qualquer altura com todas as medidas de segurança garantidas.

Pavilhão de Aragão, que imita a silhueta de uma cesta de vime, é constituído por três grandes pilares em forma de cálice. Estes suportes fazem parte dos acessos ao edifício, pelo que foram utilizados projetos concretos de ORMA e fôrmas específicas para conseguir a silhueta adequada, além de um acabamento de concreto aparente perfeito.

Foram utilizados 50.000 m3 de cimbre e um sistema de montagem rápido e seguro que foi aplicado na execução da maior parte das obras.

A sua montagem foi realizada com módulos de cimbre que foram deslocados com meios auxiliares. O transporte mecânico das torres foi efetuado através de manipuladores telescópicos. Assim, os 16 m de torre foram manobrados com o mecanismo telescópico e a grua.