Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Fôrmas, Escoramentos e Andaimes para a construção

Torre S e V, Madri, Espanha

236 m de trepantes sem grua e Proteção Perimetral HWS

Descrição

A Torre S e V, de 236 m de altura, conta com 59 andares de 1.600 m2 cada um, aos quais há que adicionar outros 6 andares no subsolo de 7.500 m2. Este projeto está situado na zona norte de Madri e fecha um dos planos urbanísticos mais singulares da cidade: o Centro Internacional de Convenções.

O estúdio de arquitetura dirigido por Carlos Rubio Carvajal e Enrique Álvarez-Sala Walter projetou este arranha-céus para múltiplas utilizações. Nos 33 primeiros andares, o edifício aloja um hotel cinco estrelas, com luxo imponente e 500 quartos, enquanto o restante está destinado a escritórios.

Solução ULMA

Os 6 andares subterrâneos e os 6 primeiros acima do solo, foram realizados com a fôrma horizontal de alumínio CC-4, juntamente com a Escora ALUPROP, com o qual foram conseguidos grandes rendimentos na obra. Uma das vantagens mais importantes permitidas pelo CC-4 em relação a outros produtos do mercado, é a possibilidade de montar primeiro a retícula e depois colocar os painéis.

A desforma torna-se muito simples graças à concepção do cabeçal de queda do CC-4; além de permitir a recuperação do material para utilização em nova aplicação. Desta forma, basta golpear a cunha do cabeçal para que as vigas, transversais e painéis desçam o suficiente para poderem ser retirados com comodidade e utilizados em outra localização.

Outros produtos ULMA Construcción utilizados:

  •      Fôrma Modular ORMA para a construção de muros e pilares retangulares.
  •      COMAIN para a construção de paredes baixas e sapatas.
  •      CLR para fôrma de pilares circulares.

Para o núcleo central de elevadores e suporte da estrutura desde o sexto andar, a ULMA Construcción colocou à disposição da obra, a tecnologia mais avançada para a construção deste tipo de arranha-céus, o Sistema Autotrepante ATR.

Este sistema, utilizado juntamente com a Fôrma ENKOFORM V-100 para as paredes, permitiu a execução de estruturas verticais de grande altura.

A seção do núcleo da torre varia 4 vezes ao longo da estrutura, pelo qual o departamento técnico adaptou a fôrma esta circunstância, no projeto específico desenvolvido para a obra.

A altura das diferentes seções oscilou entre 3 e 4 metros de altura (altura livre + espessura da laje).

Seção núcleo central.
Sistema Autotrepante ATR em seções de 4 m. A fôrma possui regulagem em altura para permitir a execução das lajes de cada andar.

As superfícies da fôrma vertical tinham 4 m de altura, compostas por painel fenólico reforçado através vigas de madeira VM-20 (verticais) que, por sua vez, estavam escoradas ortogonalmente por duplos perfis horizontais metálicos UPN-10.

A complexidade da geometria obrigou a conceber uma fôrma, que permitisse o abatimento (“dobradiça”) de partes das superfícies para possibilitar um recuo e assim manipular as superfícies (limpeza, desforma e armação) no processo autotrepante.

As superfícies de fôrma estiveram equipadas com plataformas de trabalho para facilitar a concretagem das seções. Foram formadas com tabuleiro tricapa, vigas de madeira VM-20 e perfis DUPN-120.

Na face exterior da parede, cada um dos três vãos de elevadores, dispunha de dintéis com passagem a partir da 3ª seção, enquanto os dois primeiros andares formavam uma cisterna–depósito para armazenar água. A partir da 3ª seção, existiam também dintéis nas paredes interiores (em contato com o triângulo interior) para permitir a passagem ao vestíbulo a partir das três zonas de elevadores. Nos vértices do triângulo interior foram criados vãos (passagens) para permitir a passagem ao vestíbulo a partir do exterior.

Para a proteção perimetral do edifício na fase de trabalho, foi utilizado o sistema HWS. Este produto permitiu a proteção total da laje em execução, bem como da superior e inferior.