Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Fôrmas, Escoramentos e Andaimes para a construção

Torres Fira, Barcelona, Espanha

Autotrepante ATR, rentabilidade e adaptação a geometrias complexas

Descrição

As duas torres, projetadas pelo conhecido arquiteto Toyo Ito, contam com uma altura aproximada de 120 m. Cada uma com a sua função particular: uma é um hotel e a outra um edifício de escritórios com mais de 40.000 m2.

Solução ULMA

Ao tratar-se de edifícios com mais de 120 m e com cerca de 28 andares, foi necessária a utilização de um sistema que permitisse realizar os trabalhos em altura com rapidez, segurança e qualidade. Assim, a ULMA Construcción utilizou o seu Sistema Autotrepante ATR a partir dos subsolos até aos pisos superiores. É um sistema trepante convencional ao qual se acrescentam soluções mecânicas e hidráulicas para se conseguir que a elevação do sistema seja realizada sem necessidade de grua.

As peculiares silhuetas de ambos os edifícios precisaram de núcleos de concreto particulares. O núcleo do edifício do hotel de geometria cilíndrica, com um diâmetro de 13 m e espessura de parede de 40 cm foi solucionado com uma plataforma interior e consoles exteriores, ambos autotrepantes. Além disso, o efeito de rotação foi conseguido com a variação da superfície de um piso para o outro, de 700 para 1000 m2. Por sua vez, a geometria retangular do edifício de escritórios, com uma espessura de parede de 45 cm, foi solucionada com três plataformas interiores e consoles exteriores, ambos autotrepantes.

Os resultados deste sistema foram otimizados com a combinação de outros produtos padrão:

  • Lajes abaixo do nível do solo: sistema CC-4 com escora de alumínio ALUPROP.
  • Lajes acima do nível do solo: sistema Mesas VR e Escora EP.
  • Lajes interiores do núcleo: sistema ENKOFLEX e Escora EP.
  • Pilares: Fôrma Vertical CLR, ORMA e COMAIN para pilares interiores do núcleo.
  • Paredes perimetrais: Fôrma Vertical ORMA e sistemas de fôrma monoface.

Assim, na execução dos núcleos de concreto foi possível elevar a fôrma em condições climáticas adversas. A produtividade ou rentabilidade do sistema esteve sempre assegurada, visto que o ritmo de execução neste caso, foi de um piso completo de 700-1300 m2, a cada 6 ou 7 dias. A técnica autotrepante é baseada num sistema hidráulico que permite efetuar a elevação do conjunto de forma automática e simultânea através do movimento sucessivo da fôrma e dos mastros. Este sistema, utilizado em conjunto com o ENKOFORM V-100, permitiu a execução de paredes com uma altura típica entre lajes de 3,84 m no hotel e de 4,14 m no edifício de escritórios.

Em todo este processo trepante, a segurança foi garantida. O sistema dispõe de plataformas de trabalho amplas e protegidas contra qualquer agente externo.

De forma a otimizar a execução de ambos os edifícios, o sistema autotrepante permitiu também elevar meios auxiliares como o distribuidor para despejar o concreto em todos os elementos estruturais (paredes, lajes, pilares,...). Desta forma, o concreto foi bombeado desde o piso térreo até o piso em construção e despejado por meio do distribuidor.

Na execução da fôrma exterior do edifício de escritórios, o Sistema Autotrepante ATR era constituído por consoles que serviram de apoio à fôrma, unidos através de um carro de recuo. Este sistema, acionado por um mecanismo de cremalheira, separou os painéis da parede na fase de desforma. Dispõe também de um tensor que serve para aprumar a fôrma e elementos de regulação que permitem posicioná-la tanto na vertical como na horizontal. Por sua vez, a fôrma interior foi solucionada com plataformas autotrepantes, mas à base de treliças. As quatro plataformas que constituem o sistema estão interligadas através de escadas, que permitem uma movimentação pela estrutura com total segurança.

Dada a geometria curva do hotel, a fôrma exterior, apoiada sobre consoles autotrepantes, era formada por um sistema de escoras curvas com as suas respectivas vigas e painel fenólico. A elevação foi efetuada, tanto no vão interior como no exterior, com dois conjuntos acionados por duas centrais hidráulicas independentes.